O Presidente da Seção da Ordem dos Médicos do Centro esteve ontem no Hospital da Guarda e reconheceu o esforço que Conselho de Administração da ULSG, tem feito para colmatar a falta de médicos

Carlos Cortes reuniu à porta fechada com os dirigentes da ULS da Guarda e aos jornalistas, disse que depois do encontro sai mais aliviado do que num passado recente e refere, que atualmente há outras unidades de saúde da região centro com problemas bem mais graves do que na Guarda. Carlos Cortes elogiou mesmo o empenho do Conselho de Administração da ULS da Guarda em resolver o problema de falta de médicos nesta unidade, mas criticou a atitude da tutela em relação ao Hospital da Guarda. O Presidente da Seção Ordem dos Médicos do Centro, reconhece que têm vindo a ser tomadas medidas para colmatar situações em que havia notórias falhas de resposta em algumas especialidades na urgência geral.

Carlos Cortes disse ainda, que o Ministério da Saúde tem esquecido este hospital, mas voltou a reforçar o esforço do Conselho de Administração da ULS tem feito para colmatar as falhas. Ainda assim Carlos Cortes disse que nem tudo está bem e que as soluções para colmatar as falhas não são estruturais e que tem passado acima de tudo, pela contratação de prestadores de serviço para a urgência do Hospital. A estabilidade passa por ter mais médicos no quadro, só assim os utentes ficam a ganhar, explica Carlos Cortes.