Presidente do Conselho de Administração da ULS da Guarda refere que a gestão intermédia nos hospitais, deveria ser feita preferencialmente por médicos

Foi debatido em Lisboa na passada terça-feira a “Reforma do Serviço Nacional de Saúde”. A sessão contou com a presença de vários oradores, português e estrangeiros, e foram debatidos temas como, “Os Hospitais em Portugal”, “O futuro da saúde em Portugal”, “Modelos de organização e de Gestão”, entre outros assuntos. A administração da ULS da Guarda também esteve presente juntamente com uma equipa de 12 profissionais do hospital. Para Carlos Rodrigues, Presidente do conselho de Administração, deste programa não saiu qualquer linha orientadora por parte do Ministro da Saúde, mas sim um conjunto de opiniões emitidas por vários oradores.

O presidente do Conselho de Administração deu conta das principais linhas debatidas nesta conferência, que se prendem com o financiamento, recursos humanos, bem como as contratações das administrações dos hospitais.

Par a Carlos Rodrigues, umas mas principais dificuldades das administrações hospitalares, prende-se com a gestão intermédia, que deveria ser feita preferencialmente por médicos, mas atendendo à falta de clínicos principalmente no interior, nem sempre é possível colocar esses profissionais a desempenhar essas funções.

DSC08999