O presidente da Câmara da Guarda aproveitou a realização da Cimeira Luso-Espanhola para reunir com alguns governantes que tutelam vários serviços que foram falados para ficarem sediados na cidade

Carlos Chaves Monteiro refere que falou do Arquivo Nacional do Registo Automóvel, do Porto Seco, da hipótese de deslocar a Esquadra da PSP para o espaço onde está a GNR e ainda da Unidade de Emergência de Protecção e Socorro da GNR. O autarca salientou que todas estas reivindicações foram bem recebidas pelos governantes que estiveram na Guarda. Carlos Chaves Monteiro reforça que os governantes foram sensíveis em acelerar alguns processos. Na conversa que teve com o primeiro-ministro, Carlos Chaves Monteiro disse que falou da necessidade das obras no hospital da Guarda mas também no Terminal Ferroviário.

O autarca da Guarda falou ainda do contacto que teve com o ministro das infra-estruturas no sentido de encontrar um novo espaço para o IMTT, para ali sediar a Unidade de Emergência de Protecção e Socorro da GNR.

A construção do tão falado Porto seco e posteriormente de uma região económica exclusiva foi também um dos assuntos que Carlos Chaves Monteiro não quis deixar de abordar com os governantes que estiveram na cimeira luso-espanhola.