Foram aprovadas a prestação de contas consolidadas referentes a 2015 da Câmara da Guarda

A câmara da Guarda aprovou, com a abstenção dos vereadores do PS, as contas consolidadas do município referentes a 2015. O socialista, Joaquim Carreira começou por dizer que os vereadores não tiveram acesso a todas as informações e acrescenta que o passivo aumentou.

O vereador socialista diz que o passivo está escondido e que as dívidas a médio e longo prazo a instituições créditos aumentaram substancialmente.

Confrontado com estas declarações, o presidente do Município, Álvaro Amaro diz que as afirmações do vereador socialista são de uma desonestidade intelectual, até porque o município através do SMAS tem uma dívida que todos os anos aumenta devido a um diferendo com as águas do Zêzere e Côa e garantiu que o município tem aprovisionados mais de 3 milhões de euros para negociar essa dívida e o modo de pagamento.

Álvaro Amaro reforça que a Câmara vai ter de pagar quando o diferendo jurídico estiver resolvido.

O presidente da Câmara da Guarda diz que as declarações do vereador do PS não têm credibilidade e refere que as afirmações do vereador são de uma desonestidade intelectual.

DSC07063