Com a transferência de competências do Estado Central para as autarquias, a câmara da Guarda, e só na área da educação, teve um défice de 140 mil euros nos primeiros quatros meses do ano

Os números foram avançados pelo presidente da câmara na última reunião do executivo. Sérgio Costa diz que esta transferência, tal como foi feita é apenas, um transferir responsabilidades financeiras para a autarquia e lamenta a falta de um estudo prévio sobre os encargos que a autarquia da Guarda assumiu com esta a competência e também a da ação social. Também na aérea da cultura o autarca mostra preocupações e refere que, só com o Museu da Guarda o acréscimo de custos já ronda os 120 mil euros ano, fruto do contrato celebrado há alguns anos atrás.

Sérgio Costa falou ainda dos encargos que autarquia tem com a manutenção dos 80 quilómetros de estradas nacionais que foram desclassificadas no concelho e onde a verba gasta para a conservação ronda anualmente meio milhão de euros, sem que haja qualquer comparticipação do estado central.