A Câmara da Guarda aprovou, na reunião do executivo, apoios financeiros extraordinários a várias associações desportivas, culturais e sociais

A Câmara da Guarda aprovou, na reunião do executivo, apoios financeiros extraordinários à Guarda Unida Desportiva, ao Centro Cultural Desportivo e Recreativo de Vila Cortez, à Associação Académica da Guarda, Associação de Beneficiência e Solidariedade Social de Avelãs da Ribeira e à Liga de Solidariedade Social e Melhoramentos “Amigos da Arrifana”.

O presidente do Município, Carlos Chaves Monteiro justificou estas verbas como apoios extraordinários para eventos ou obras que estão por concretizar.

Já o vereador independente, Sérgio Costa referiu que estes apoios financeiros, num montante global de 300 mil euros, não fazem sentido numa altura em que estão à porta as eleições autárquicas, deixando entender que pode haver aqui tentativa de condicionamento eleitoral em cada uma das associações ou freguesias.

Na resposta, o presidente da Câmara da Guarda disse que o vereador independente é irracional quando falou do assunto. Carlos Chaves Monteiro explicou que o valor de 40 mil euros concedido à Guarda Unida é para a realização da Rampa do Caldeirão. Quanto aos 100 mil euros para o CCDR de Vila Cortez, o autarca diz que são necessários para concluir a requalificação do Campo 3 de Maio, nomeadamente para a vedação do recinto desportivo e outros trabalhos de pavimentação. Já o apoio concedido à Associação Académica está relacionado com a Missa de Finalistas que decorreu no Estádio Municipal.  Os apoios à Associação de Avelãs da Ribeira são para a conclusão duma obra. Carlos Chaves Monteiro reconheceu que este projecto já dura há alguns anos mas que falta o gradeamento e as caleiras, num investimento que anda entre os 15 e os 20 mil euros.

O presidente da Câmara da Guarda rejeita que estes apoios estejam relacionados com a proximidade das eleições autárquicas, uma vez que nos últimos anos tem havido uma política de apoio às associações.

Foto: Arquivo