A Câmara da Guarda adquiriu o edifício da antiga Casa da Legião, junto à Sé, para ali instalar a coleção de António Piné

A Câmara da Guarda adquiriu o edifício da antiga Casa da Legião, em frente da porta principal da Sé, para ali instalar, em 2023, um espaço museológico com o espólio da colecção de António Piné.

O presidente do Município disse, na reunião do executivo desta semana, que a autarquia celebrou um protocolo com a Associação Nacional de Farmácias, detentora da colecção. Carlos Chaves Monteiro explicou que a aquisição do imóvel vai permitir requalificar um edifício que está degradado e, ao mesmo tempo, abrir um espaço cultural no centro histórico da cidade. O autarca considera que este acervo de arte contemporânea vai ser um trunfo importante na candidatura à Capital Europeia da Cultura. O espólio de António Piné contempla um conjunto de obras de vários artistas portugueses e estrangeiros. Segundo o presidente da Câmara, irá agora ser lançado o concurso para a elaboração do projecto de recuperação do edifício. A inauguração está prevista para 2023.

A aquisição do edifício foi aprovado por unanimidade na reunião do executivo desta semana, mas a vereadora do PS, Ana Cristina Correia ressalvou que o custo, de 260 mil euros, é elevado.

Também o vereador do PSD, mas sem pelouros, Sérgio Costa apoiou esta decisão da maioria, uma vez que era uma ideia há muito idealizada.