O presidente da CIM das Beiras e Serra da Estrela diz que compete ao Governo, construir e requalificar Hospitais e não são as Comunidades Intermunicipais que devem sinalizar essas obrigações do Estado

Tudo isto a propósito do plano de resiliência da CIM Beiras e Serra da Estrela que se encontra plasmado na página de internet da CCDR Centro. Neste documento elaborado por esta comunidade com investimentos estratégicos, não é feita qualquer referência a obras no Hospital da Guarda, ao contrário do que acontece com outros documentos de outras Comunidades Intermunicipais da região centro. Luís Tadeu, presidente da Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela, diz que a recuperação e construção de unidades de saúde é uma competência do Estado Central. Numa referência direta ao Hospital Sousa Martins, Luís Tadeu diz que o Governo sabe muito bem qual a sua obrigação para com os utentes da área da ULS da Guarda. O presidente da CIM Beiras da Serra da Estrela reforça que a construção de Hospitais bem como as requalificações são da competência do Governo. Luís Tadeu não acredita que outras propostas vertidas nos planos de resiliência de outras comunidades intermunicipais, que apontam para a construção de novos hospitais até 2026, venham a ser concretizadas.

O também presidente da Câmara de Gouveia, diz que o plano de resiliência apresentado pela CIM Beiras e Serra da Estrela contém investimentos que podem ser concretizados por esta comunidade ou pelas autarquias que a integram.

Luís Tadeu diz que a área da Saúde não foi esquecida pela CIM Beiras e Serra da Estrela, neste plano estão previstos investimentos na área da telemedicina.

O presidente da Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela desafia o Governo a utilizar parte da grande da fatia de dinheiro que vai receber de Bruxelas, para investir alguns milhões na recuperação do Hospital da Guarda.