O Hospital da Guarda reduziu o número de camas COVID em Cuidados Intensivos de dezasseis para oito

Das 16 existentes foram agora alocadas oito para doentes “Não COVID”, já em enfermaria das 104 camas inicialmente abertas, foram reduzidas para 42, referiu o presidente do Conselho de Administração da ULS da Guarda, João Barranca. O administrador salvaguarda ainda que a todo momento e conforme o evoluir da situação pandémica na região, o número de camas pode voltar a ser redimensionado. A redução do número de camas também se prende com a intenção de realizar obras de melhoramento, no sentido de melhor alocar doentes COVID e “Não COVID”. Esta intervenção tem um custo estimado de 183 mil euros e João Barranca diz que esta intervenção vai permitir uma melhor coabitação entre doentes infetados com SarsCov2 e doentes com outras patologias.