O deputado Municipal do Bloco de Esquerda, Marco Loureiro, questionou o presidente da Câmara da Guarda sobre dois ajustes diretos que a autarquia fez à ADSI (Associação Distrital para a Sociedade de Informação)

Marco Loureiro, Deputado Municipal do Bloco de Esquerda, questionou o presidente da Câmara sobre dois ajustes diretos que a autarquia fez durante o mês de maio à Associação Distrital para a Sociedade de Informação (ADSI). A pergunta foi levantada na última Assembleia Municipal e o deputado bloquista quis saber mais pormenores sobre estes dois ajustes direto, feitos em maio à ADSI, no valor de 26 mil e 200 euros.

Outro dos contratos feitos pelo município da Guarda que suscitou dúvidas ao Bloco de Esquerda prende-se com a aquisição de serviços para a montagem e desmontagem do stand do município da BTL 2020, que entretanto não se realizou e que custou aos cofres do Municipio mais de 11 mil e 500 euros. Marco Loureiro diz que as prioridades do Municipio da Guarda deveriam ser outras, em vez destes contratos realizados.

Na resposta o presidente da câmara da Guarda diz que no caso do stand do município na BTL 2020, foi feito o pagamento porque havia já um contrato assinado com empresa FS Works – Arquitetura e Design. Carlos Monteiro diz que por causa da pandemia a BTL não se realizou, mas o contrato fica já em vigor para próximo ano.

Quanto ao Guia do Investidor, que foi entregue por ajuste direto à ADSI por 7 e 200 euros, Carlos Monteiro justifica com a necessidade de este ser atualizado. O Presidente da câmara da Guarda falou do projeto de teleassistência a idosos, que também foi adjudicado também à ADSI por 19 e 200, referindo que este projeto já dura há dois anos e é em parceria com a GNR e outras autarquias e tem financiamento europeu.