[Armando Reis]: «Só há duas listas à concelhia do PSD da Guarda, porque o Partido Social Democrata ficou órfão com a saída de Álvaro Amaro para Bruxelas»

A seção do PSD da Guarda vai a votos no próximo Sábado e para o comentador da Rádio F, Armando Reis, só existem duas listas, porque o Partido Social Democrata ficou órfão com a saída de Álvaro Amaro para Bruxelas. O socialista considera que não é muito comum haver disputas políticas internas quando se está no poder.

Armando Reis considera que estas eleições para a concelhia PSD, disputadas por Sérgio Costa e Júlio Santos, vão ditar quem vai ser o próximo candidato à câmara da Guarda nas próximas autárquicas, pelos Social Democratas.

O comentador da Rádio F salientou a ausência até ao momento de declarações públicas do candidato Júlio Santos, já de Sérgio Costa, referiu que o discurso foi mais um ataque ao PS do que uma mensagem para o interior do PSD.

Na opinião de Armando Reis, se Sérgio Costa ganhar a concelhia do PSD, acabará mais cedo ou mais tarde, por retirar a confiança politica ao atual presidente da Câmara da Guarda. O socialista Armando Reis considera que se Júlio Santos vencer as eleições, Carlos Chaves Monteiro será o candidato às autárquicas pelo PSD, mas provavelmente surgirá uma lista independente, encabeça por Cidália Valbom.

O comentador da Rádio F refere ainda que independentemente de quem vier a ganhar este ato eleitoral, não vai haver unidade no PSD da Guarda. Quanto ao resultado, Armando Reis diz que o vencedor sairá fruto do chamado “exército de eleitores”.