Júlio Santos, candidato à concelhia da Guarda do PSD, acusou o adversário Sérgio Costa de estar a criar um governo sombra à maioria que governa a Câmara

O líder da lista A falava na apresentação da candidatura que decorreu ontem, ao final da tarde, na sede distrital do partido.

Júlio Santos diz que Sérgio Costa está a fazer oposição a uma autarquia liderada pelo partido. O candidato pela lista A não esconde que se vivem momentos conturbados dentro do partido e acrescentou que não pode haver um PSD concelhio que esteja contra o PSD que dirige os destinos da autarquia.

Júlio Santos diz que Carlos Chaves Monteiro será o candidato apoiado pela concelhia mas sublinha que a última palavra pertence aos órgãos nacionais do partido.

O candidato da lista A às eleições do próximo Sábado diz que não está dependente de ninguém e que não pauta as decisões por conselhos telefónicos. Júlio Santos garante ainda que a concelhia será um escudo da actual maioria da Câmara da Guarda. Quem também esteve na apresentação da lista foi Ester Amorim, que pertence aos órgãos nacionais do partido e que é candidata à mesa da Assembleia de secção. A social-democrata também não poupou críticas a Sérgio Costa e referiu que o candidato da lista G é oposição ao partido na Câmara da Guarda.

Ester Amorim diz que ainda tentou fazer uma lista de consenso mas que Sérgio Costa não se mostrou disponível. Júlio Santos também comentou um possível consenso entre os dois candidatos mas referiu que Sérgio Costa pensa muito mas não decide nada. O candidato da lista A diz que colocou várias alternativas em cima da mesa.

As eleições estão marcadas para o próximo Sábado.