Há um grupo de militantes do PS e elementos da sociedade civil que querem ver Adelaide Campos como candidata à Câmara da Guarda pelo Partido Socialista

A Rádio F sabe que a ideia de uma candidatura à Câmara Municipal da Guarda pelo PS, encabeçada por Adelaide Campos, tem vindo a ganhar forma ao longo das últimas semanas. A vontade de ver Adelaide Campos como candidata à Câmara da Guarda, parte de um grupo de simpatizantes e de militantes socialistas, que pretendem como cabeça de lista pelo PS, «alguém que seja da Guarda e com fortes ligações à sociedade civil, e cujo espírito de missão e dedicação ao concelho seja inquestionável e que ao longo da sua vida tenha dado mostras de capacidade de liderança e de lutar por causas», referiu uma fonte à Rádio F. E ao que apuramos tudo aponta para que o nome escolhido seja o da médica Adelaide Campos.

Inclusive este nome já será do conhecimento do Secretariado Nacional do PS, e até vê com bons olhos o surgimento do nome de Adelaide Campos como putativa candidata à autarquia da Guarda.

O grupo de militantes pretende que esta possível candidatura «seja um projeto inclusivo, abrangente e agregador de várias pessoas com influência na sociedade civil da Guarda, incluindo militantes socialistas de várias gerações e várias sensibilidades e pretende unir a Sociedade Civil e o PS em torno das causas e desafios que a autarquia da Guarda vai ter de enfrentar nos próximos mandatos.»

A independente Adelaide Campos, no plano político atual, é membro da Assembleia de Freguesia da Guarda, tendo sido eleita da lista do PS em 2017.No campo profissional é médica cirurgiã da ULS da Guarda e desempenha a função de diretora da Urgência do Hospital Sousa Martins, tendo sido recentemente membro do Grupo COVID. Também já exerceu funções de diretora clínica da ULS da Guarda, tendo feito parte do Conselho de Administração.

A Rádio F contactou a médica Adelaide Campos, que não quis tecer qualquer comentário, referindo apenas que este ainda não é o tempo de se pronunciar.

Foto: Facebook