Eduardo Brito pretende criar um fundo de 1 M€ para fomentar o emprego no concelho

O Partido Socialista apresentou publicamente os candidatos às próximas autárquicas ao concelho da Guarda, a apresentação decorreu no anfiteatro ao ar livre da Biblioteca Eduardo Loureço. Da lista ao executivo camarário, para além de Eduardo Brito, surgem os nomes de Pedro Fonseca em número dois, Cristina Correia e Manuela Simões, ocupam a 3ª e 4ª posição, e no 5º lugar surge Nuno Fernandes. A intervenção de Eduardo Brito começa por referir que nesta candidatura, estão presentes pessoas que não se revêm na estratégia da atual governação. O candidato do PS refere que está na hora de mudar a maneira de fazer política na camara da Guarda, com uma governação transparente e rápida, para todos os atores políticos, que intervêm nos diferentes órgãos camarários.

Das propostas apresentadas Eduardo Brito, volta a falar na redução de impostos. A criação de emprego é dos principais lemas da candidatura socialista, o candidato propõe criar um fundo de 1 milhão de euros, para a fomentação de emprego no concelho. Na saúde, Eduardo Brito exige ao Governo o lançamento da 2ª fase do hospital da Guarda. O candidato do PS, fala da mudança das instalações da GNR e da Direção Distrital de Finanças para outro local, naquele espaço pretende instalar a “Casa do Clima”, um projeto ligado ao setor ambiental. A quinta da Maunça também não foi esquecida por Eduardo Brito, naquele espaço quer ver nascer um “Museu Vivo”, ligado à fauna e à flora.

Quanto aos candidatos à Assembleia Municipal, já se sabia que Joaquim Carreira, atual vereador do PS, encabeçava a lista, seguem-se António Monteirinho, Agostinho Gonçalves, Conceição Santos, Matias Coelho e a na 6ª posição Miguel Alves. Coube ao candidato Joaquim Carreira recordar as obras desenvolvidas pelos autarcas do PS, que foram eleitos durante 37 anos na Guarda. Joaquim Carreira não poupou críticas ao atual executivo, acusa-o de aproveitamento político pelo sucesso das empresas instaladas na Guarda. O candidato também refere que as esculturas e rotundas realizadas neste mandato, mais parecem de regimes totalitários de países do Leste ou países Muçulmanos.

Fábio Pinto é candidato à freguesia da Guarda, o socialista referiu que quer um protocolo com a câmara Guarda, para a gestão e manutenção do Parque Urbano do Rio Diz.