Colocar o serviço de radioterapia no hospital da Guarda tem que ser uma decisão politica, é a opinião do Director Clínico da ULS da Guarda

A instalação do serviço de radioterapia no hospital da Guarda tem que ser uma decisão politica. A opinião é do diretor da Unidade Local de Saúde. Em declarações à Rádio F, Gil Barreiros explicou que esta nova unidade que está a ser disputada pelos distritos da Guarda, Viseu e Castelo Branco, é muito dispendiosa e implica a colocação de profissionais de saúde especializados. Contudo a decisão está centrada nas forças políticas, afirma o diretor da ULS da Guarda.

O governo está a estudar onde é que poderá ficar instalado na beira interior, o serviço de radiologia, que irá servir os distritos da Guarda, Viseu e Castelo Branco. Também já veio a público que Viseu já está a mobilizar-se no sentido de exigir a instalação do equipamento no hospital da cidade. Aliás, foi aprovada uma moção na Assembleia Municipal, e está a circular uma petição onde o primeiro subscritor é o presidente da Câmara. Por cá o assunto foi abordado pela “rama”. Segundo Gil Barreiros a ULS não deve questionar o governo sobre o serviço de radiologia, mas sim os políticos do distrito, como aconteceu em Viseu. Segundo o diretor clinico da ULS, este tipo de serviço deveria ser criado no distrito que tem mais habitantes e aqui refere-se à Guarda. Gil Barreiros aproveitou ainda para fazer um apelo aos políticos do distrito da Guarda, para que a localização da futura unidade de radioterapia do interior fique localizada na Guarda.

operation-theatre-555089_1280