Carlos Peixoto diz que o eleitorado do Distrito da Guarda não tem qualquer motivo para alterar o sentido de voto de há 4 anos atrás, onde em coligação o PSD foi o vencedor

Carlos Peixoto entende que o eleitorado do Distrito da Guarda não tem qualquer motivo para alterar o sentido de voto de há 4 anos atrás, onde em coligação o PSD venceu por uma margem de mais de 10 mil votos. Carlos Peixoto acredita que o PSD vai ser o partido mais votado nas legislativas de outubro neste círculo eleitoral, justificando, foram os deputados Social-democratas que mais defenderam os interesses do distrito.

O candidato do PSD refere que nada está definido, até porque, e apesar das sondagens não serem favoráveis, Carlos Peixoto lembra que ainda há uma grande franja de eleitorado indeciso. Carlos Peixoto terminou esta legislatura numa das vice-presidências do grupo parlamentar do PSD, algo que pode ser benéfico para do distrito da Guarda, defende o candidato. O cabeça de lista pelo círculo da Guarda sente a estrutura política do PSD e os autarcas Social-democratas empenhados na campanha eleitoral. Mas Carlos Peixoto diz que a candidatura é muito mais abrangente.

Um facto indesmentível é a posição da JSD Distrital, esta estrutura referiu, sob a forma de comunicado, que não irá participar na campanha eleitoral. Carlos Peixoto diz que a caravana Social-democrata vai contar com o apoio de muitos jovens e que os subscritores do comunicado só têm um objetivo, o PSD perder as eleições.

Os Social-democratas entregaram ontem no Tribunal da Guarda a lista por este círculo eleitoral, onde o Carlos Peixoto é cabeça de lista, seguem-se Carlos Condesso e a fechar os efetivos Sara Campos. (ouvir aqui)