“Arruaceiro e ordinário”, foram dois adjectivos utilizados na última Assembleia Municipal da Guarda

A troca de palavras entre o deputado do PS, António Monteirinho e o deputado do PSD, Luís Aragão, marcou, entre outros pontos, a Assembleia Municipal da Guarda.

O socialista disse que o PSD da Guarda é uma coutada do actual executivo e que vive amordaçado. António Monteirinho começou por dizer que a política do quero posso e mando de Álvaro Amaro, tem os dias contados.

O líder da bancada do PSD, Luís Aragão não gostou do que ouviu e classificou António Monteirinho de, e passo a citar, arruaceiro e ordinário. O deputado do PS, António Monteirinho pediu de imediato a defesa da honra.

O mau estar instalado levou mesmo a que o presidente da Câmara da Guarda, no momento da intervenção, tivesse que intervir para pedir que os dois deputados apertassem a mão no final da Assembleia.

Mas na intervenção que fez, António Monteirinho também criticou a postura do CDS na Assembleia Municipal. O deputado socialista acusou os centristas de não serem coerentes. A deputada do CDS, Elsa Silva respondeu que até ao dia 1 de Outubro, data das eleições autárquicas, o partido está coligado com o PSD.

A troca de palavras entre o socialista e o social-democrata, António Monteirinho e Luís Aragão esteve mais acesa, mas os dois deputados apertaram a mão no final da Assembleia.