Secretária de Estado do Turismo, anunciou na inauguração da FIT, que o Hotel de Turismo vai ser abrangido pelo programa “Revive”

A secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, anunciou na Guarda, na sessão inaugural da Feira Ibérica de Turismo, que o Hotel Turismo da Guarda, encerrado desde 2010, vai ser abrangido pelo programa “Revive”, que tem como objectivo abrir o património ao investimento privado para desenvolvimento de projectos turísticos.

Ana Mendes Godinho acrescentou que o processo terá início em Junho e que o Hotel Turismo da Guarda será, para além de unidade hoteleira, um pólo de criação de emprego e um espaço de formação para jovens que estão a terminar a formação académica na área do turismo.

Momentos antes, o presidente da Câmara da Guarda, Álvaro Amaro, já tinha abordado o assunto, onde recordou que o Município até estava disposto a comprar o hotel para posteriormente o devolver à economia.

O anúncio da integração do Hotel Turismo da Guarda, no programa Revive, que vai possibilitar a requalificação do edifício, foi também assinalado pelo presidente da República. Marcelo Rebelo de Sousa, que esteve na inauguração da Feira Ibérica de Turismo, afirmou que teve noites mal dormidas por saber que a unidade hoteleira estava fechada e votada ao abandono.

O chefe de estado visitou ontem a Feira Ibérica de Turismo, esteve e tirou fotografias nos 130 stands, distribuiu beijos e abraços e deixou bem claro, que a FIT tem tudo para ser um sucesso a nacional, acreditando que o número de expositores vai aumentar de ano para ano.

O chefe de estado deixou uma mensagem de esperança, visitou e tirou fotografias e as famosas “selfies” em todos os stands e distribuiu beijos e abraços ao longo das quase 3 horas de visita ao certame, tendo abandonado a Guarda por volta das 19 horas.

No entanto, o anúncio da secretária de estado do turismo em relação ao Hotel Turismo da cidade, acabou por marcar o primeiro dia do evento. Ana Mendes Godinho referiu que a unidade hoteleira vai ser abrangida pelo programa Revive, que tem por objectivo abrir o património ao investimento privado para desenvolvimento de projectos turísticos.