[Armando Reis]: PS: «O presidente da concelhia não é um candidato ganhador (à Câmara da Guarda), Adelaide Campos tem mais possibilidades de ser uma candidata vitoriosa» PSD: «urge uma definição política interna»

A pouco mais de um ano das próximas eleições autárquicas o comentador da Rádio F, Armando Reis, entende que o PS tem que encontrar um candidato à Câmara da Guarda que tenha uma boa aceitação na sociedade civil, já o PSD precisa de uma definição politica.

O Histórico Socialista deixa um recado à concelhia do PS da Guarda, o partido tem que se abrir à sociedade civil e apontar quatro ou cinco nomes para constarem num estudo de opinião, sobre qual deles tem mais possibilidade de conquistar a autarquia da Guarda pelo PS. Armando Reis é da opinião, que se o PS apontar um candidato interno da estrutura politica, perde as eleições na Guarda. O comentador da Rádio F diz mesmo que Adelaide Campos tem mais possibilidades de ganhar a autarquia da Guarda do que o líder da concelhia do PS.

Já quanto ao PSD, Armando Reis, diz que o partido que gere atualmente os destinos da autarquia da Guarda não precisa de nenhuma sondagem. Tem é que resolver o grave problema interno de guerrilha entre Carlos Chaves Monteiro e Sérgio Costa. O Comentador da F tece duras críticas a Sérgio Costa e refere que lhe falta decoro político, e perante a atuação do mesmo, desafia-o a retirar a confiança politica a Carlos Chaves Monteiro.

Armando Reis também diz que Carlos Chaves Monteiro, dificilmente será o candidato pelo PSD à autarquia da Guarda. O histórico socialista diz ainda que atualmente mais parece que Sérgio Costa está na oposição na autarquia da Guarda, papel que deveria caber aos vereadores do PS. O comentador da Rádio F diz que o PSD precisa de uma definição política interna.

Quanto a outros nomes da ala direita, Armando Reis, fala em Cidália Valbom, mas descarta a possibilidade do regresso de Álvaro Amaro, até porque o ex-autarca da Guarda está envolvido em vários processos judiciais.

Por fim Armando Reis deixa outra variável que pode condicionar as próximas autárquicas na Guarda, uma candidatura pelo partido CHEGA.