O vereador do PS na Câmara da Guarda, Manuel Simões, justificou o voto contra a proposta da cedência do antigo matadouro a um grupo privado, por falta de esclarecimentos e por entender que o assunto devia ser discutido em Assembleia Municipal

As antigas instalações do matadouro, localizadas na Avenida Cidade de Béjar serão cedidas, pelo Município, por um período de 50 anos e o investidor do sector da saúde Med Capital e o Hospital Terra Quente terão de suportar uma renda anual de cerca de 11 mil e 200 euros. Está previsto que a unidade hospitalar e a residência sénior criem cerca de 200 postos de trabalho, 90 directos e 110 indirectos.

O vereador do PS, Manuel Simões justificou o voto contra e colocou algumas questões. O socialista quis saber quantos operadores privados foram consultados, como foi calculado o valor do imóvel e consideram que a proposta deveria ser submetida à Assembleia Municipal. Manuel Simões vincou que o PS não é contra a criação de postos de trabalho mas é da opinião de que este projecto pode ser lesivo para a Câmara da Guarda.

Quanto ao ponto 19, relativo à proposta de atribuição da medalha de excelência e dedicação da Cidade da Guarda ao vice-almirante, Gouveia e Melo, o vereador socialista diz que o voto foi favorável mas o assunto deveria ter sido objecto de discussão prévia no executivo camarário.