É preciso regulamentação, para que na Guarda, o “Porto Seco” passe do papel à realidade, quem o diz é João Logrado, diretor geral da OLANO Portugal

É preciso regulamentar a legislação existente, para que o “Porto Seco” da Guarda passe do papel à realidade, quem o diz é João Logrado, diretor geral da OLANO Portugal. Esta é uma premissa fundamental que esta infraestrutura possa ser implementada até porque, até ao momento, só foi criada legislação para a criação de “Portos Secos”. Agora é preciso regulamentar, diz João Logrado.

Outra ferramenta essencial é a criação de uma plataforma informática para controlar as mercadorias, através de uma “Janela de Logística Única”, João Lougrado é da opinião que este projeto assim que concretizado,  vai atrair mais operadores para a Guarda, tornando esta região, especialista em importação e exportação.

O diretor geral da OLANO, lembra que este tipo de “Portos Secos”, permite às empresas terem stock sempre disponível, mas as taxas alfandegárias só são pagas aquando da utilização da matéria prima.