A Câmara da Guarda cedeu um imóvel na PLIE à AgroGuarda, para a criação do Centro Operacional Agrícola da Guarda

O protocolo foi assinado esta semana, e trata-se de um contrato de comodato entre a autarquia e esta cooperativa agropecuária e tem como objetivo promover os produtos endógenos da região. Para, Sérgio Costa, presidente da Câmara da Guarda, a cedência deste espaço à AgroGuarda é a prova que o atual executivo municipal aposta na valorização dos produtos e produtores deste território. A aposta deve passar por criar um tecido empresarial agrícola e agroindustrial, com prioridade aos produtos locais, disse o autarca.

Sérgio Costa salientou que Centro Operacional Agrícola, será a casa de todos os produtores do concelho da Guarda.

Com este projeto, o presidente da Câmara da Guarda, acredita que se vai gerar mais economia no setor agropecuário do concelho.

Já para Jorge Godinho, presidente da AgroGuarda este protocolo é um grande desafio e uma enorme oportunidade para os agricultores do concelho da Guarda. O contrato de comodato da cedência do edifício prevê uma duração máxima de 4 anos, algo que pareceu não agradar muito ao presidente da AgroGuarda.

A apadrinhar a assinatura deste protocolo esteve a Diretora Regional Adjunta da agricultura e pescas do Centro, Vanda Bastita, que salientou a importância deste projeto para os agricultores da região, onde junta sinergias e complementaridade.