A Câmara da Guarda aprova por maioria, o plano de recuperação apresentado pela empresa Sociedade Têxtil Manuel Rodrigues Tavares

A Câmara da Guarda aprovou com os votos a favor dos três elementos do Movimento pela Guarda e do vereador do PS uma proposta para o plano de recuperação apresentado pela empresa Sociedade Têxtil Manuel Rodrigues Tavares. Os vereadores do PSD abstiveram-se neste ponto da ordem de trabalhos.

O vereador socialista, Luís Couto, justificou o voto com a preocupação de salvaguardar os 56 postos de trabalho da empresa.

Já os vereadores do PSD abstiveram-se. Carlos Chaves Monteiro quis deixar esta responsabilidade ao actual executivo. Carlos Chaves Monteiro tem algumas dúvidas e mostra-se pessimista em relação a este processo, tendo em conta o actual momento da empresa.

A abstenção do PSD não foi bem acolhida pelo presidente da Câmara. Sérgio Costa queixa-se de uma má herança deixada pelo anterior executivo e da actual necessidade de salvaguardar postos de trabalho e não perder o dinheiro que a autarquia já gastou. Sérgio Costa não entende a abstenção por parte dos vereadores do PSD. Na proposta apresentada a empresa compromete-se a pagar em prestações a dívida que tem à Câmara no processo dos terrenos do Rio Diz. Sérgio Costa diz que esta má herança, que já vem de 2001, já tem muitos intervenientes.

Foto: DR