Providência cautelar sem efeito suspensivo na requalificação do pavilhão 5 do Hospital da Guarda. A obra pode avançar, anunciou a Ministra da Saúde na Assembleia da República

Por decisão judicial, não foi deferido o efeito suspensivo à providência cautelar interposta pelo 2º classificado do concurso para requalificar o Pavilhão 5 do Hospital da Guarda e a obra pode avançar, anunciou a Ministra da Saúde na Assembleia da Republica

A revelação foi feita na comissão de Finanças e Orçamento na audição de Marta Temido. A ministra foi questionada sobre o processo de requalificação da chamada 2ª fase do Hospital da Guarda pelo deputado do PS, António Monteirinho.

Sobre a 2ª fase de requalificação do Hospital da Guarda a Ministra da Saúde nada adiantou, referiu que de momento, o foco é a recuperar o Pavilhão 5 e salientou que a verba já está desbloqueada. Revelou ainda que a providência cautelar interposta pelo 2º classificado, não obteve efeitos suspensivos e estima que a obra avance.