O Tribunal de Contas já deu o visto favorável à nova operadora dos Transportes Urbanos da Guarda que deverá começar a operar num prazo máximo de seis meses

A revelação foi feita pelo presidente da câmara da Guarda, após ter sido aprovada nova prorrogação do contrato de prestação de serviços à atual empresa. Esta nova dilatação de prazo é necessária para garantir o serviço, até que a “EcostaTour”, vencedora do concurso internacional, tome conta do serviço, o que deverá acontecer num prazo máximo de seis meses, adiantou o autarca Sérgio Costa. O presidente da câmara reconhece que o atual serviço deixa muito a desejar, mas lembra que este processo já se arrasta há dois anos e que herdou este dossier. Sérgio Costa deixa entender que com a entrada da nova operadora, o serviço prestado atualmente vai ser reavaliado. O autarca diz-se ciente das lacunas dos atuais Transportes Urbanos, nomeadamente a falta de oferta de linhas em zonas da cidade, como no Hospital, na PLIE, Parque Industrial e nos centros empresariais de Vale de Estrela e Outeiro de São Miguel. Sérgio Costa diz que no prazo máximo de 6 meses a nova operadora terá que começar a funcionar de acordo com o que está plasmado no concurso internacional.

O assunto da prorrogação da prestação de serviços da atual operadora “Viúva Monteiro” foi aprovado por unanimidade em reunião de câmara, no sentido de garantir o serviço neste período de transição, no entanto, o vereador do PS, Luís Couto, gostaria que a nova operadora entrasse já em funções, isto porque o atual serviço prestado é inadequado para os utentes. Também o vereador do PSD, Chaves Monteiro, espera que rapidamente a vencedora do concurso público internacional, e com o aval do Tribunal de Contas, a nova operadora comece a operar no mais curto espaço de tempo.