A Polícia Judiciária da Guarda em colaboração com a GNR, deteve uma mulher com a idade de 51 anos, por forte suspeita da autoria de um crime de incêndio

A Polícia Judiciária, através do Departamento de Investigação Criminal da Guarda e com a colaboração da GNR, identificou e deteve uma mulher, com a idade de 51 anos, por forte suspeita da autoria de um crime de incêndio que consumiu um prédio urbano devoluto, causando prejuízos patrimoniais de valor elevado.

O incêndio terá sido ateado por meio de chama direta, com recurso a fósforos, sobre um manto de vegetação rasteira e cujas chamas rapidamente se alastraram ao interior de uma habitação devoluta e depois a um armazém de feno, que ficaram destruídos por completo.

O incêndio terá sido cometido por motivos fúteis, decorrentes de pequena discórdia existente, entre a detida e uma zeladora da propriedade afetada.

Presente, entretanto, a interrogatório judicial a arguida ficou sujeita à medida de coação de apresentações periódicas às competentes autoridades policiais, assim como à proibição de se aproximar de zonas de mata e floresta, entre várias outras medidas de natureza comportamental, tais como, a proibição de adquirir fósforos ou isqueiros.