A pneumologia do Hospital da Guarda já é um «serviço bastante diferenciado» e pode ser de referência na aérea para os hospitais limítrofes, isto se houver vontade para que tal aconteça, disse o diretor do serviço, Luís Ferreira

A pneumologia do Hospital da Guarda já é um «serviço bastante diferenciado» e pode ser de referência na aérea para os hospitais limítrofes, isto se houver vontade para que tal aconteça, disse à Rádio F, o diretor do serviço, Luís Ferreira. Em entrevista na primeira pessoa, o médico, salienta que esta diferenciação obtida na pneumologia de um hospital do interior pode servir uma vasta população para além dos limites do distrito da Guarda. Exemplo disso mesmo é a recente técnica de diagnóstico de ecografia endobrônquica que é apenas realizada na região centro, na Guarda e em Coimbra. O pneumologista não tem dúvidas, o grau de diferenciação do serviço de Pneumologia do Sousa Martins, equipara-se praticamente ao de um Hospital Central. As várias respostas dadas na aérea da pneumologia é vasta e já é possível acompanhar alguns doentes fora do Hospital Sousa Martins em conceito de proximidade. Atualmente, só são orientados praticamente doentes de pneumologia do Hospital da Guarda para outra unidade hospitalar, em caso de necessidade cirúrgica. Luís Ferreira diz que é possível ir mais longe, até porque o quadro clínico atual assim permite. Ser um Hospital de referência para a Pneumologia é possível, mas é preciso que haja vontade politica para que tal aconteça. O diretor do serviço diz mesmo, que há vários exemplos pela Europa fora, em que unidades de saúde diferenciadas e de referência estão fora das principais cidades. Outra da mais valias do Hospital da Guarda e ter quartos com pressão regulável. Num futuro próximo, diz o médico, há a intenção de dotar mais espaços com esta funcionalidade.