Sindicalistas da Guarda e Castelo Branco voltaram a manifestar-se junto à sede da CIM das Beiras e Serra da Estrela, para exigirem a reposição dos passes sociais nesta região

Recorde-se que esta é uma reivindicação desde já desde agosto de 2021, quando o apoio foi retirado aos utentes por alegadamente ter sido esgotada a verba disponível para esta medida. Entretanto segundo os sindicalistas, o presidente da comunidade intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela, comprometeu-se a reunir com as Uniões de Sindicatos da Guarda e Castelo Branco, algo que não aconteceu. O dirigente de Castelo Branco, Sérgio Santos, acusa Luís Tadeu de falta de respeito e ética pelos sindicatos. Sérgio Santos diz que o presidente da CIM Beiras e Serra da Estrela ignora-os e, inclusive nem lhes responde aos ofícios que são enviados. O sindicalista diz que a verba que estava destinada a apoiar a redução dos passes dos utentes está a ser entregue às operadoras de transportes.

Já José Pedro Branquinho, da União de Sindicatos da Guarda diz que não vão desistir da luta e vão voltar a insistir numa reunião com Luís Tadeu. O dirigente sindical entende que têm que ser encontradas outras soluções para repor os passes sociais na região, nomeadamente através das próprias autarquias. José Pedro Branquinho defende que o próximo governo tem que garantir verbas através do orçamento de estado para garantir a mobilidade de pessoas nesta região do país.