Reconquistar a Câmara da Guarda é um dos principais objectivos do presidente eleito da Federação do PS do distrito

Numa entrevista à Rádio F, António Saraiva deixou algumas críticas ao executivo liderado por Álvaro Amaro, explicou porque pediu a suspensão do mandato como deputado na Assembleia Municipal e reforçou que o partido quer conquistar o maior número de câmaras possível, mas voltar a vencer na Guarda é a prioridade. António Saraiva diz mesmo que não foi pela mais valia do actual presidente que o PS perdeu a Câmara que liderava há 37 anos e que ainda não se viu uma medida estrutural no concelho.

António Saraiva acrescenta que o actual executivo só tem feito festas mas deixa escapar que até se revê nalgumas iniciativas. Contudo, diz que a Guarda necessita de conquistar novos mercados ao nível dos eventos que têm por objectivo captar turistas. O presidente da Federação do PS acusa ainda o município de ter deixado cair uma iniciativa que tinha como objectivo captar turistas judaicos.

António Saraiva explicou ainda as razões que o levaram a suspender o mandato como deputado na Assembleia Municipal. O arquitecto sustenta que há um diferendo entre a Agência para a Promoção da Guarda, que liderou enquanto gestor e o Município. Quanto ao perfil do candidato pelo PS à Câmara da Guarda, António Saraiva diz que o assunto já está a ser estudado internamente. Até ao final do ano serão anunciados os nomes dos candidatos aos 14 municípios do distrito e as concelhias vão ter um papel importante nas decisões.

Reconquistar a Câmara da capital do distrito é uma das prioridades. O nome do candidato deverá ser conhecido lá mais para o final do ano, sendo que as concelhias terão uma palavra a dizer neste assunto. Uma entrevista que pode ouvir na integra na página da Rádio F.

Imagem 009