O facto da Câmara da Guarda estar na trigésima sétima posição no Ranking Global dos Municípios de Média Dimensão, subindo várias posições na lista dos 100 melhores classificados Globalmente, mereceu uma reacção o presidente da autarquia e também dos vereadores da oposição, no final da reunião do executivo desta semana.

O Município alcançou ainda a 24ª posição com a maior diminuição do passivo exigível em 2018, cerca de 18 milhões de euros, e a 31ª para maior Equilíbrio Orçamental, com taxas de execução entre 85 e 90 por cento. A informação foi divulgada pelo Anuário Financeiro dos Municípios Portugueses.

Carlos Chaves Monteiro realçou a classificação obtida pela Câmara e reafirmou que é o culminar de um trabalho desenvolvido nos últimos anos. O presidente da Câmara da Guarda acrescenta que o Município apresenta uma situação financeira estável e continua a concretizar obras na cidade e no concelho.

Opinião diferente têm os dois vereadores do PS. Eduardo Brito recordou que há dois anos a Câmara estava numa posição muito baixa no ranking e que, nessa altura, a maioria desvalorizou esse resultado. O socialista diz que os dois vereadores do PS têm dado um contributo para esta nova classificação. Eduardo Brito vai mais longe e afirma que a maioria tem seguido as ideias apresentadas pelos socialistas, uma vez que tem havido pressão no debate político. (ouvir aqui)

 

 

O website da Rádio F utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close