O chumbo do orçamento da Câmara da Guarda foi tema central do programa da Rádio F, “Poder Deliberativo” e PS e PSD deixaram uma porta aberta para aprovar o documento, mas só no primeiro trimestre de 2024. O debate junta à mesa os representantes das bancadas municipais da Assembleia Municipal da Guarda, e o líder do PS, Miguel Borges, diz que é o tempo necessário para que o autarca, Sérgio Costa, possa demonstrar trabalho, algo que segundo o mesmo não foi feito na primeira metade do mandato. Quanto a eleições intercalares, o deputado diz que essa é uma decisão do presidente de câmara, se tem ou não, condições para governar.

Do lado do PSD, Ricardo Neves de Sousa, diz que os Social Democratas estão disponíveis para rever o sentido de voto, mas se for apresentado um orçamento que vá de encontro às reais necessidades dos guardenses e que traga desenvolvimento para o concelho.

Do lado do Mmovimento Iindependente “Pela Guarda”,  Breia Lopes considerou positiva esta abertura por parte da oposição, mas sublinha que quem governa  é o PG, e que o documento não pode ser desvirtuado nas principais linha orientadoras.

O website da Rádio F utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close