Pedro Gadanho, diretor executivo da candidatura da Guarda a capital europeia da Cultura em 2027, vai auferir 5000 mil euros por mês durante 2 anos

Os valores foram dados pelo presidente da autarquia, Carlos Chaves Monteiro, no final da última reunião do executivo camarário. Já os dois elementos que vão acompanhar diretamente Pedro Gadanho no núcleo executivo, segundo o autarca da Guarda, vão auferir cerca de 1000 euros por mês. Carlos Chaves Monteiro referiu ainda que a equipa de projeto da candidatura da Guarda a capital europeia da Cultura em 2027, vai ser constituída por 16 elementos, sendo 9 externos ao Município. O autarca não referiu o custo mensal para o município dos 9 novos elementos externos a contratar, já na afetação de funcionários internos, o valor médio de apoio rondará os 500 euros mês.

Carlos Chaves Monteiro lembra que no orçamento da Câmara da Guarda, está previsto gastar meio milhão de euros este ano, com a candidatura da Guarda a capital europeia da Cultura em 2027.

O Presidente da Câmara da Guarda refere que vai encontra-se com outros autarcas da região para acordar formas de haver um contributo financeiro por parte dessas autarquias. Carlos Chaves Monteiro refere que no âmbito desta candidatura, alguns projetos vão ser desenvolvidos noutros concelhos. O autarca também defende que o Governo deve financiar esta candidatura. (ouvir aqui)

Foto: Municipio da Guarda