O orçamento da Câmara da Guarda para 2020 ronda os 51,8 Milhões de euros

A Câmara da Guarda aprovou, com os votos contra dos vereadores do PS, o orçamento do município para 2020, que é na ordem dos 51,8 milhões de euros.

A maioria diz que há um aumento do valor do investimento para fazer obras importantes no concelho, mas os socialistas justificaram o voto com ausência de estratégias e com faltas de apoio ao mundo rural, à inovação e à falta de ideias para dinamizar o centro histórico. Eduardo Brito acrescenta que o documento é feito de frases feitas e de lugares comuns. O vereador do PS diz que a maioria não está a cumprir com o programa que apresentaram aquando da campanha para as autárquicas em 2017. Eduardo Brito que a cidade não pode ter um desenvolvimento sustentado sem estratégias para o centro histórico. O vereador do PS diz ainda que o orçamento para 2020 também tenta responder a críticas que foram apontadas pelos socialistas.

Já o presidente da Câmara da Guarda rejeita que o orçamento esteja baseado em frases feitas e lugares comuns. Carlos Chaves Monteiro diz que os vereadores do PS não querem entender as propostas da maioria para o próximo ano. O presidente do Município diz que orçamento para o próximo ano é responsável e ambicioso porque assenta em obras estruturantes para o concelho. Carlos Chaves Monteiro refere que o orçamento também contempla 2 milhões de euros para amortizar obras que foram feitas pelo último mandato do partido socialista na Câmara da Guarda. O autarca acrescenta que as opções do orçamento vão ao encontro das necessidades da população e acrescenta que se tudo for cumprido, o PS vai afastar-se do arco do poder. (ouvir aqui)