O Sindicato dos Enfermeiros Portugueses exige a integração de todos os enfermeiros precários nos quadros da ULS da Guarda, inclusive aqueles que foram contratados no âmbito da Pandemia COVID

São 68 os enfermeiros que reforçaram a ULS da Guarda no âmbito da Pandemia, e que agora, o sindicato quer vê-los efetivos até porque, há carências estruturais de recursos de enfermagem nesta unidade de saúde, refere o sindicalista, Honorato Robalo. O delegado do SEP na Guarda exige à tutela que autorize a ULS da Guarda a integrar estes enfermeiros no quadro. Outra das reivindicações é o pagamento a 100% do ordenado aos enfermeiros precários que estiverem de baixa por infeção de COVID-19.