O presidente da câmara de Pinhel mostra-se preocupado com a falta de médicos no centro de saúde e lança o alerta, no próximo ano cerca de 60% da população do concelho poderá ficar sem médico de família

Em missiva enviada à ministra Marta Temido, Rui Ventura vem alertar para o esvaziamento de clínicos no concelho. Com a saída de um medico e três deles já muito perto dos 70 anos, o autarca teme que em 2022, mais de metade da população deixe de ter assistência médica na chamada rede de cuidados de saúde primários. Se nada for feito, diz Rui Ventura, o serviço de 24 horas de urgência do centro de saúde de Pinhel poderá estar em causa.

Entretanto o autarca diz que o presidente do conselho de administração da ULS já lhe apontou caminhos para a resolução do prolema, mas Rui Ventura defende que sejam definidas politicas efetivas a nível central para a fixação de médicos no interior.

Rui Ventura fala numa questão estrutural e manifesta igual preocupação com a falta de médicos especialistas na ULS da Guarda. O presidente da câmara de Pinhel defende medidas efetivas que condicionem os médicos irem para outras zonas do país.

Foto: Rádio Elmo