O IPG aumentou em 11% o número de vagas, tornando o politécnico português que regista um maior aumento em termos percentuais

O Politécnico da Guarda disponibilizou para a primeira fase de ingresso ao ensino superior 944 vagas, o que representa um aumento de 11% comparativamente com o ano anterior. E este aumento resulta de 96 novas vagas, e faz com que o IPG seja  o politécnico português que regista maior aumento percentual, só ultrapassado pela Universidade da Beira Interior, que cresce 13%, e pelo ISCTE, com 16%, revelou à Rádio F, Joaquim Brigas, presidente do Politécnico da Guarda. Este aumento de vagas é o resultado de uma clara atenção do Governo às instituições de ensino superior do interior, mas também ao dinamismo das escolas do IPG, sublinha Joaquim Brigas. Ainda assim o presidente do IPG entende que é preciso criar mais mecanismos para combater a assimetria que existe no número de vagas entre instituições do ensino superior do litoral, comparativamente com as do interior. Joaquim Brigas entende que o IPG olhou para as necessidades do mercado de trabalho e lançou novas ofertas formativas que são atrativas, sem no entanto descurar outras licenciaturas base. Este ano, o Politécnico da Guarda tem novas licenciaturas, a juntar a outras que foram criadas nestes últimos três anos.