O candidato do PSD à câmara da Guarda, Carlos Chaves Monteiro, anuncia um hospital privado, que vai ser construído dentro de dois anos, nos antigos edifícios do matadouro

«A Guarda vai ter, dentro de dois anos, um hospital privado, que vai ser construído nos antigos edifícios do matadouro, no Bairro da Luz». A garantia foi deixada pelo presidente do Município, durante a apresentação oficial da candidatura do PSD à Câmara Municipal.

Já na parte final da intervenção, Carlos Chaves Monteiro anunciou a instalação de um hospital privado na Guarda, que irá criar 90 novos postos de trabalho directos e 200 indirectos.

Numa sessão pública, que decorreu no Parque Municipal e que contou com a presença de vários autarcas de freguesia e militantes do PSD, Carlos Chaves Monteiro referiu ainda obras que pretende concretizar no próximo mandato.

O candidato social-democrata e actual presidente destacou a aposta na mobilidade com a criação de um terminal ferroviário na Guarda-gare, uma ligação rápida entre a zona baixa e alta da cidade através de minibus, um sistema de bicicletas eléctricas e ainda a criação de um sistema de mobilidade pedonal inteligente com escadas rolantes e elevadores, entre os castelos velhos e o largo de S. João.

Apostar na cultura e na modernização do centro histórico são também objectivos. Carlos Chaves Monteiro lembrou as casas adquiridas pela Câmara e para onde estão projectados espaços museológicos e o Solar dos Sabores. A Praça Velha vai ter ecrãs digitais que vão informar os automobilistas dos melhores locais para estacionarem os veículos. A aposta na cultura vai ser fortalecida com a candidatura da Guarda a capital europeia em 2027, acrescenta o candidato do PSD que considera ser um projecto central para a afirmação da cidade no espaço nacional e transfronteiriço. Carlos Chaves Monteiro reforçou também a importância do Porto Seco na Guarda e a aposta numa agricultura empresarial e a instalação de fábricas ligadas à mobilidade eléctrica. O candidato pelo PSD à Câmara da Guarda que foi vice presidente da autarquia entre 2013 e 2019 e presidente nos últimos dois anos, destacou ainda o investimento de 100 milhões na PLIE e que permitiram a criação de 500 postos de trabalho. Só em 2021, acrescentou, estão previstos 900 novos empregos muito qualificados em indústrias tecnológicas e inovadoras.

Na mesma sessão foi apresentado Jorge Barreto Xavier como cabeça de lista à Assembleia Municipal, João Queiroz, antigo reitor da UBI e ex-diretor-geral do Ensino Superior, é o mandatário da candidatura. O professor no IPG, José Carlos Alexandre, que em 2017 esteve ligado à candidatura de João Adaixo, é o coordenador do programa eleitoral e Hugo Fernandes é o director de campanha. Já Pedro Nobre terá a seu cargo a direcção financeira e Cristina Frias e Alfredo Torres são os mandatários para o Futuro.