Municipio da Guarda rejeita qualquer responsabilidade no cancelamento da carreira entre a Guarda e o Sabugal, feito pela empresa “Viúva Monteiro”

O presidente da Câmara da Guarda rejeita qualquer responsabilidade do Município pelo facto da empresa de transportes, Viúva Monteiro, ter deixado de fazer o serviço das carreiras diárias de transporte de passageiros, entre a Guarda e o Sabugal, reclamando ainda uma dívida de 178 mil euros. Carlos Chaves Monteiro nega a existência de qualquer tipo de contrato e garante que a Câmara já está a resolver o assunto.

O serviço de transportes está suspenso desde o dia 5 deste mês e a empresa Viúva Monteiro defende que tentou encontrar soluções mas que não obteve resposta por parte da Câmara da Guarda. O presidente do Município, Carlos Chaves Monteiro diz que a autarquia só assinou contratos para assegurar os transportes escolares. Carlos Chaves Monteiro diz que ficou surpreendido quando foi contactado pela empresa a exigir uma quantia em dinheiro para manter os transportes. O autarca acrescenta que os transportes intermunicipais são da responsabilidade da Comunidade Intermunicipal. O autarca repudia esta posição da empresa Viúva Monteiro e afirma que foi quebrada a relação de confiança que existia. O presidente da Câmara da Guarda diz ainda que a questão dos transportes de passageiros entre a capital do distrito e o Sabugal foi resolvida pelo Município. (ouvir aqui)

Foto: Henrique Monteiro