O município da Guarda está a requalificar a Escola Secundária da Sé, para já a intervenção é no âmbito da eficiência energética, mas estão previstas outras obras numa 2ª fase

São cerca de 2,5 milhões de euros que já foram investidos nos últimos seis anos, no parque escolar do concelho. Trabalhos que têm vindo a ser excetuados de uma forma faseada e com financiamento europeu, como referiu à Rádio F, o Vice-presidente da Câmara da Guarda.

Sérgio Costa fala das intervenções que estão previstas nesta 1ª fase na Secundária da Sé, essencialmente tratam-se de obras de eficiência energética nos edifícios. O investimento nesta fase é de 900 mil euros, cofinanciado a 85%, sendo que o restante é suportado pela autarquia e pelo Ministério da Educação em partes iguais. O vice-presidente da Câmara da Guarda acrescenta ainda, que os trabalhos no parque escolar do concelho são feitos em articulação com a vereadora do pelouro da educação, Lucília Monteiro. A obra na Escola Secundária da Sé já começou em meados no ano anterior e deverá estar concluída no verão deste ano. Mas Sérgio Costa, reconhece que as obras nesta escola não podem ficar pela eficiência energética, está prevista uma segunda fase que ronda 1 milhão de euros e que avança, logo que haja cofinanciamento para tal.

Entretanto, Sérgio Costa, refere que a autarquia tem o levantamento feito de outras necessidades de intervenções no parque escolar do concelho, como na escola das Lameirinhas, centros escolares da Sequeira e Porto da Carne e na escola de Santa Clara com a requalificação de Balneários e casas de banho. Investimentos que podem chegar aos 2,5 Milhões de euros.

O vice-presidente da autarquia da Guarda lembra que estes investimentos só são viáveis com fundos comunitários. Sérgio Costa recorda ainda, que estas intervenções são realizadas de acordo com aquilo que está plasmado na Carta Educativa do concelho. Sérgio Costa realça que a autarquia da Guarda está devidamente preparada, para que logo que haja financiamento, estes projetos saiam do papel, algo que se segundo o Vice-Presidente não aconteceu num passado recente. (ouvir aqui)