Ministro do Ensino Superior afirmou que não houve redução de orçamento para este ano no IPG

Identificar novas oportunidades e criar novas ideias podem ser dois passos a seguir para aumentar o número de alunos no Politécnico da Guarda. Pelo menos é essa a convicção do ministro da tutela, Manuel Heitor, que esteve ontem à tarde no IPG para constatar de perto os problemas do instituto. O governante foi questionado por um docente e mais tarde pelos jornalistas e frisou que é importante encontrar novas ideias para trazer mais estudantes, acrescentando ainda que tem de haver empenho e criatividade. Manuel Heitor referiu ainda que a oferta formativa tem que ser adequada às necessidades actuais.

Valorizar e ver de perto as capacidades locais foi também um dos objectivos da visita do ministro da ciência e do ensino superior ao Politécnico da Guarda.

Manuel Heitor adiantou que existe a intenção de desenvolver o actual observatório para o turismo no sentido de o transformar num ponto de conhecimento e pretende levar essa ideia aos outros politécnicos da região.

O ministro também falou no orçamento atribuído pelo governo ao IPG. Manuel Heitor vincou que não houve redução e que até se regista um aumento e que objectivo é melhorar a qualidade do Politécnico da Guarda.

O ministro da ciência e do ensino superior esteve na Guarda, tinha um convite para ser recebido na Câmara Municipal mas parece ter declinado esse convite ou simplesmente não terá respondido. O presidente do Município, Álvaro Amaro não gostou da atitude do governante e vai manifestar o desagrado a Manuel Heitor.

Confrontado com esta questão, o ministro diz que respondeu mas justificou que tinha uma agenda muito preenchida e que o objectivo era estar mais tempo nos politécnicos.

IPG