O empresário, Luís Veiga, um dos rostos da Plataforma pela Reposição das Scut na A23 e A25, considera que a medida anunciada pelo Governo, relativamente às portagens, não faz qualquer sentido e é lamentável. Recorde-se que a Ministra da Coesão Territorial anunciou, em Macedo de Cavaleiros, descontos nas portagens de sete auto-estradas a partir do terceiro trimestre do ano para os utilizadores frequentes. Ana Abrunhosa explicou que a medida irá ser aplicada a veículos das classes 1 e 2 mas os descontos só se deverão aplicar a partir do sétimo dia de viagem. Isto significa que nos primeiros seis dias o condutor paga o valor total da portagem, mas, entre o 7º e 15º dia de viagem haverá uma redução de 20 por cento. A partir do 16º dia o desconto ascende a 40 por cento. Luís Veiga diz que esta medida revela falta de sensibilidade por parte do Ministério das Finanças. O empresário da região acusa ainda o primeiro-ministro de nada fazer para abolir as portagens nas ex-scut, uma vez que esta medida mais parece uma promoção de super mercado.

Luís Veiga explica que esta medida apenas vai ter descontos para quem faça 15 viagens na mesma scut. O empresário hoteleiro acrescenta que os custos para os turistas vão continuar a ser os mesmos. (ouvir aqui)

 

 

 

O website da Rádio F utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close