Deputado do PS estranha o silêncio da CIM Beiras e Serra da Estrela, em relação ao serviço de Radioterapia que o Ministério da Saúde pretende criar no interior

Santinho Pacheco, deputado do PS na assembleia da república, eleito pelo círculo da Guarda, lamenta e mostra-se preocupado com o silêncio da CIM – Comunidade Intermunicipal da Beiras e Serra da Estrela, em relação ao serviço de radioterapia que o ministério da saúde pretende criar na Beira Interior. O estudo já está feito, mas ainda se desconhece, se o novo serviço vai ser instalado na Guarda, em Viseu ou em Castelo Branco. Na assembleia da república os dois deputados do PS da Guarda questionaram o governo, uma vez que já existem movimentações em Viseu, ao contrário da Guarda, onde ainda ninguém tomou uma posição. Santinho Pacheco refere-se nomeadamente à CIM.

Santinho Pacheco, refere que a Unidade Local de Saúde da Guarda, também tinha uma palavra a dizer. O deputado socialista discorda com o diretor clínico, Gil Barreiros que afirmou na Rádio F que a instalação da radioterapia é uma decisão politica e que a ULS não deve pronunciar-se sobre o assunto.  Santinho Pacheco sublinha ainda, que os dois deputados socialistas eleitos pelo círculo da Guarda vão continuar a reivindicar o serviço de radioterapia, uma vez que a Guarda reúne as melhores condições, face à sua localização.

Santinho Pacheco, deputado do PS na assembleia da república, eleito pelo círculo da Guarda, manifestou o desagrado pelo facto de na cidade, não ter havido ainda tomadas de posição, no sentido de o serviço de radioterapia ser criado no hospital Sousa Martins. Santinho Pacheco lamenta que a ULS e a CIMBSE não defendam este serviço de saúde que o governo pretende instalar no interior do país.

hospital