D. Manuel Felício, que cumpre o 16º ano à frente da diocese da Guarda, fala do empenho da diocese na procura de respostas concretas para combater a crise. O bispo explica que muitas IPPS estão a servir refeições até para serviços públicos. D. Manuel Felício acrescenta que através da diocese já foram oferecidos ventiladores à ULS da Guarda.
O Bispo da Guarda recorda que também o centro apostólico, na cidade, foi transformado em hospital de retaguarda com 80 camas e que o NERGA se disponibilizou para fazer testes nas instalações da Associação.
Dom Manuel Felício congratula-se com a ajuda e solidariedade nesta altura difícil e adianta que, no distrito, também o convento de Gouveia das Irmãs de São João Batista, distribui refeições para quem mais precisa e reservou um andar com 30 camas para as autoridades de saúde as utilizarem como quiserem.
O Bispo da Guarda sabe que muitas vezes se levantam vozes que criticam a postura da Igreja nestas ocasiões mas frisa que os serviços da diocese têm a preocupação de estar perto das pessoas sem fazer propaganda.
Dom Manuel Felício tem 72 anos e está na diocese da Guarda há 16. O Bispo diz que esta é uma das crises mais graves da história da humanidade e adianta que nada vai ser como dantes, ou seja, tem de haver mais momentos de partilha. (ouvir aqui)

O website da Rádio F utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close