Amanhã as escolas vão estar fechadas por causa da tolerância de ponto. A Rádio F recolheu a opinião dos pais e encarregados de educação, dos dois agrupamentos da Guarda

Amanha já se sabe, há tolerância de ponto na administração central e na administração local, na zona territorial da CIM Beiras e Serra da estrela. As escolas vão estar fechadas, a Rádio F ouviu a opinião dos representantes dos pais e encarregados de educação, dos dois agrupamentos de escola da Guarda.

Cristina Cruz, presidente da associação de pais do agrupamento da Sé, discorda desta medida e alerta para o impacto que vai ter neste terceiro período, que segundo a dirigente, já por si é curto. A dirigente associativa acredita que é possível repor o conteúdo curricular, mas alerta que a matéria pode ser locionada de uma forma mais apressada. Cristina Cruz, refere ainda, que esta tolerância de ponto, vai ser mais um constrangimento para os pais e encarregados de edução, que não têm onde deixar os filhos.

A Radio F, também ouviu o presidente da associação de pais e encarregados de edução do agrupamento de escolas Afonso de Albuquerque. Nércio Marques, também se mostra preocupado com a componente letiva, que poderá ter que ser locionada de forma mais apressada, mas que acaba por aceitar esta decisão da tolerância de ponto, até porque se trata de uma situação excecional. O presidente da associação de pais do agrupamento da escola Afonso de Albuquerque, está convicto que as matérias previstas para o dia da tolerância de ponto vão ser repostas, e que isso não vai representar um problema para a dinâmica das escolas. O dirigente associativo alerta no entanto, para o facto de as escolas terem que encerrar portas, até porque os municípios também decretaram tolerância de ponto, o que implica que os funcionários afetos às autarquias, também estão dispensados do serviço, no dia de amanhã, Nércio Marques refere que pode ser um problema para muitos pais, que não têm onde deixar os seus filhos.