Alterações no acesso ao ensino superior voltam a estar em cima da mesa

As reservas mostradas pelo Conselho Nacional da Educação sobre várias das alterações no acesso ao ensino superior, podem fazer cair a proposta que está em discussão desde o final do ano passado. Uma das alterações propostas é a “condição mínima” de acesso ao ensino superior, deixando cair a “barreira dos 9,5 valores”, que actualmente é valor mínimo para a candidatura ao ensino superior. O presidente do Politécnico da Guarda, Constantino Rei, refere que o Conselho Nacional da Educação não é objetivo no parecer, mas adianta que esta questão já foi levantada há mais de um ano pelo conselho coordenador dos Politécnicos.

Constantino Rei defende que os exames nacionais do 12º ano, continuem a ser um referencial para o acesso ao ensino superior, defendendo a revisão da nota mínima, que atualmente se situa nos 9,5 Valores.

O Ministro do Ensino Superior, Manuel Heitor para já “não toca no assunto” se não houver consenso, para o presidente do IPG, o governante acaba por ter uma posição coerente, uma vez que sempre reiterou, que estas alterações só podiam feitas, se houver um consenso alargado