Administração da Caixa Geral de depósitos recusou-se receber o presidente da Câmara Municipal de Almeida, a agência fechou esta quarta-feira

A Caixa Geral de Depósitos confirmou em comunicado o encerramento do balcão de Almeida esta quarta-feira, garantindo a presença no concelho apenas na agência de Vilar Formoso.

A CGD justifica o encerramento do balcão de Almeida depois de 5 anos consecutivos de prejuízos e diminuição de actividade comercial e com um nível de movimentos de tesouraria muito abaixo da média.

A administração da Caixa, em Lisboa, recusou-se a receber o presidente da Câmara Municipal de Almeida, como estava previsto. O banco exigiu que a população desmobilizasse da concentração na agência de Almeida, antes do encontro. O autarca argumentou que não pôde desconvocar essa manifestação porque não foi ele quem a convocou e sublinhou também que ele próprio tem exigências. “Quebrou-se o diálogo”, disse António Baptista Ribeiro que prometeu continuar a lutar contra o encerramento do balcão na sede de concelho. O autarca exige a manutenção dos serviços de tesouraria no balcão da Caixa Geral de Depósitos em Almeida.

Após o regresso de Lisboa, o vice-presidente da Câmara de Almeida, José Alberto Morgado apelou a uma concentração dos almeidenses na agência da Caixa Geral de Depósitos de Vilar Formoso, na quinta-feira dia 4 de maio, às 14h30, para onde foram transferidas todas as contas que estavam na agência de Almeida.

Esta quarta-feira o atendimento ao público em Almeida já não é assegurado, apenas funcionam as máquinas.

Foto: Rádio Fronteira