A Guarda “requalifica-se e renasce” com 15 milhões de euros de investimento nos próximos três anos

Quinze milhões de euros, em número redondos para reabilitar a cidade. A Guarda requalifica-se e renasce foi o mote das conferências da Guarda que ontem durante a tarde apresentaram um conjunto de obras para os próximos anos.

As mais visíveis passam pela Torre dos Ferreiros ou pela Torre de Menagem que fica a ter uma ligação pedonal à praça Luís de Camões através de jardins que estão abandonados e fechados ao público. Ficou a saber-se que os antigos paços do concelho podem ser a futura sede da Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela no 1º andar e que no rés-do-chão pode ficar uma loja de produtos regionais. A sede da Comissão vitivinícola da Beira Interior vai para o quintal medroso que vai ser intervencionado. O jardim José de Lemos fica aberto sem os arbustos à volta e com novos caminhos, o parque municipal também fica sem vedação e com vigilância 24 horas, vai ser criada uma pedovia na VICEG e de acesso à zona industrial, as escolas também vão sofrer intervenções e na zona da estação também vão surgir melhoramentos significativos.

As intervenções surgem no âmbito do PEDU – Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano e de outros programas que financiam em 85 por cento as obras contempladas em concurso, como explicou o presidente da Câmara da Guarda, Álvaro Amaro.

Os projectos foram apresentados ontem, à tarde, na Câmara da Guarda. Álvaro Amaro não tem dúvidas de que alguns pontos da cidade vão ficar mais atractivos, nomeadamente a praça da misericórdia e a Torre dos Ferreiros. O presidente da Câmara da Guarda diz que uma cidade mais atractiva pode cativar empresários.

Quem também esteve presente nas conferências da Guarda foi a vogal da Comissão Directiva da Estrutura de Gestão do Instrumento Financeiro para a Reabilitação e Revitalização Urbana.