A Câmara da Guarda aprovou, mas com o voto contra do PS, a realização da Feira de S. Francisco e dos mercados quinzenais no parque de estacionamento do Parque Urbano do Rio Diz (POLIS)

Esta foi a vontade dos 106 feirantes que participaram na Feira de São João. Num inquérito feito pela Câmara da Guarda, 92 por cento dos feirantes afirmaram que a feira deveria permanecer no parque de estacionamento do Parque Urbano.

Esta decisão não será definitiva mas poderá durar vários anos, uma vez que a intenção da autarquia será deslocar as feiras para o Vale de S. Francisco, que carece ainda de um plano de pormenor para o efeito e das respectivas obras.

A proposta foi aprovada na reunião do executivo desta semana, mas com o voto contra da vereadora do PS.

Adelaide Campos, que substituiu Luís Couto, justificou que a Guarda tem de ter um plano estratégico e que estas medidas não são solução. A vereadora socialista defende que o Polis está numa zona periférica da cidade e que a melhor aposta para a feira seria no centro urbano. Adelaide Campos sustenta que é preciso amadurecer ideias.

O vereador do PSD, Vítor Amaral, que substituiu Carlos Chaves Monteiro, aprovou a proposta uma vez que é essa a vontade dos feirantes. Contudo também considerou que é necessário encontrar uma localização definitiva para as feiras e mercados quinzenais.

Já o presidente da Câmara da Guarda, Sérgio Costa referiu que esta foi a vontade dos feirantes depois de auscultados pela autarquia. Uma decisão que não será definitiva, acrescentou o presidente do Município. Sérgio Costa recordou que a intenção do executivo é que estes eventos passem a realizar-se no Vale de S. Francisco que carece de um plano de pormenor e das respectivas obras. Um projecto que pode durar anos até ser executado.

A Câmara da Guarda aprovou, mas com o voto contra do PS, a realização da Feira de S. Francisco e dos mercados quinzenais no parque de estacionamento do Parque Urbano do Rio Diz. A medida entrará em vigor a partir de Outubro.