A ULS da Guarda poderá reduzir o número de camas a partir de 1 de Julho, caso não haja um reforço de profissionais

Se não houver um reforço de enfermeiros na ULS da Guarda a partir de julho, o conselho de administração, poderá vir a reduzir o número de camas nas unidades hospitalares. Em causa estão a passagem para as 35 horas dos profissionais com contrato individual de trabalho, que, a partir de 1 de julho vão ser equiparados aos profissionais com contrato em funções públicas. O conselho de administração ULS da Guarda já deu indicações para que todos os funcionários com contrato individual de trabalho, passem para o regime de 35 horas semanais, como deu conta à Rádio F, Nélia Faria, Enfermeira Diretora da Unidade Local de Saúde da Guarda.

Para colmatar a redução do número de horas por semana, o Conselho de Administração da ULS da Guarda já comunicou à tutela as suas necessidades. Caso estas, não sejam satisfeitas, a Enfermeira Diretora fala de um “plano B”, que poderá passar pela redução do número de camas hospitalares.

Nélia Faria, diz que o Conselho de Administração da ULS da Guarda, tudo tem feito para diminuir o impacto para a passagem para as 35 horas, a Enfermeira Diretora diz que agora, está tudo nas mãos do Ministério da Saúde.

Declarações da Enfermeira Diretora da ULS da Guarda, esta semana no programa da Rádio F, Conversa em Binómio.

(ouvir aqui) 

(ouvir aqui)