PS da Guarda diz que Álvaro Amaro pretendia fazer mais uma festa e obter aproveitamento político, com a assinatura do contrato de concessão do Hotel de Turismo

O líder da concelhia do PS da Guarda refere que Álvaro Amaro pretendia retirar dividendos políticos com a assinatura do contrato de concessão do Hotel de Turismo Guarda. Agostinho Gonçalves, em exclusivo à Radio F, referiu que a assinatura do contrato de concessão do Hotel de Turismo, tratou-se apenas de um ato formal e burocrático. O presidente da concelhia do PS acrescentou ainda, que a câmara da Guarda, nesta parte do processo, não tinha que rubricar o contrato.

Agostinho Gonçalves entende que, a participação do presidente da câmara da Guarda nesta altura, serviria apenas para Álvaro Amaro fazer mais uma festa e retirar aproveitamento político.

Para Agostinho Gonçalves o anúncio da empresa vencedora da concessão feito por Álvaro Amaro numa Assembleia Municipal e posteriormente numa conferência de imprensa nas escadarias do Hotel de Turismo é que revelou, segundo dirigente socialista, uma falta de respeito institucional com a Secretária de Estado do Turismo.

Questionado com o papel de Álvaro Amaro e do Municipio no processo do Hotel de Turismo, Agostinho Gonçalves desafia o autarca da Guarda a dizer o que pensa verdadeiramente sobre inclusão do Hotel no programa Revive.

O Presidente da concelhia do PS da Guarda garantiu ainda à Rádio F, que a Secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho estará na Guarda, aquando do arranque das obras do Hotel de Turismo.